segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Meditando junto ao mar


Meditando junto ao mar

 

Que prazer sentar-me ao sol junto ao mar!

Observando as ondas, batendo de mansinho no chão d´areia……

São tantos os tons de azul que dão vida a este mar!

 

Gaivotas que esvoaçam na crista das ondas para o acariciar,

Sobem seus coros ao céu, ficam as tristezas no mar.

Ai! Quem me dera ter aqui minha paleta, para este quadro pintar.

 

Ó mar! Não canso de te escutar

Em dias de sol ou noites de lua cheia,

Para mim tens o fascínio de me embalar.

Ó mar! És a minha panaceia.

Sinto-me tão bem aqui que não queria arredar.

 

Embala-me o teu marulhar e assim, fico a meditar…….

Que mistérios tu escondes?

Que segredos tão profundos!

Quantos a teus pés depositaram lágrimas,

Segredando suas mágoas de ilusões defuntas?

 

 

Engrossando tuas águas, marés vivas, marés fundas,

Já meus avós inspiraste em todos os cantos do mundo,

Agora, quedo-me eu a olhar-te e, sonhando te pergunto;

Como nasceste tu mar, no princípio do mundo?

 

                                                                       Poema de: Ester de Sousa e Sá

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sem comentários:

Enviar um comentário